VALUATION, COMPRA DE EMPRESAS E CONSULTORIA – EDUQUE-SE E APROVEITE A CRISE

Que crise é momento de oportunidades todo mundo já sabe. Me dá até uma certa vergonha repetir esse bordão. Porém, é verdade. E o momento da economia Brasileira está propício a isto. Entretanto, algo só se torna oportunidade se você está preparado. E no caso de compra de empresas você tem duas formas de se envolver: ter dinheiro e comprar a empresa; ou saber avaliar e procurar empresas para serem compradas, e oferecer para alguém.

Qualquer ativo vale o quanto de retorno ele gera para quem faz um investimento. Por exemplo, se alguém quiser comprar um imóvel de R$ 1 milhão para alugar, ele fará as seguintes perguntas e contas:

  • se eu pegar esses mesmos R$ 1MM e colocar em um ativo de baixo risco (teoricamente) quanto eu posso ganhar?
  • quanto de retorno o imóvel me gerará?

Neste caso, estamos nos referindo aos Títulos Públicos. Hoje (09/01/2016), segundo site do Tesouro Direto, um título pré-fixado paga aproximadamente 16% ao ano. Como esse juro é capitalizado, mensalmente a taxa é de 1,24% bruto. Ou seja, quando aplicados os R$ 1MM neste título público, ele gerará uma renda bruta mensal de R$ 12.445,14.

Com isto em mente, o investidor precisa verificar quanto de aluguel o imóvel gerará. Para simplificar, vamos usar o valor bruto. Na prática, todos os descontos (despesas, impostos, taxas, etc.) devem ser considerados. Voltando, se o imóvel em questão gerar um aluguel de R$ 10.000,00 o investimento não vale a pena.

Através desta avaliação de fluxo de caixa, chegamos à conclusão de que o imóvel não vale R$ 1 milhão, pois com este mesmo valor é possível gerar renda com menor risco. Neste caso, o imóvel vale, aproximadamente, R$ 803.526,65. Por que desse valor? Pois se o investidor pegar este mesmo montante e aplicar em títulos públicos, ele vai ganhar R$ 10.000,00 (o mesmo valor do aluguel), que representa 1,24% do valor investido.

O que foi feito aqui, basicamente, foi uma análise de fluxo de caixa. A avaliação de empresas reflete exatamente o mesmo padrão. É preciso projetar as receitas e despesas operacionais da empresa, adicionar seus ativos não operacionais e descontar seus passivos. Então, encontra-se o real valor de qualquer empresa, independentemente do setor em que atua.

Somente fazendo isto, pode-se afirmar se uma empresa está barata ou cara. O resultado pode variar de um analista para outro, haja vista que cada um pode considerar diferentes variáveis para as projeções. No mercado financeiro, são mais prestigiados aqueles que, consistentemente, conseguem projetar de forma acertada os balanços e demonstrativos de resultados, pois tem profundo conhecimento sobre a empresa analisada e seu setor.

Tenho dinheiro. Como aproveitar disso durante a crise?

Se você possui uma parte de sua carteira de investimentos que deseja diversificar, a primeira dica é: fuja da bolsa de valores. As empresas ali estão com as mesmas dificuldades da padaria da esquina ou a startup do seu amigo. A diferença é que elas são muito mais voláteis aos “sentimentos” do mercado do que os negócios que não tem suas ações negociadas em Bolsa.

Sendo assim, se você é um bom empreendedor, é melhor colocar seu dinheiro em algo que você tenha algum controle. No caso de ações na bolsa você não tem nenhum: nem sobre a empresa, nem sobre o mercado. Você não vai poder dizer para o CEO o que ele deve fazer, nem para o CFO como ele deve gerir as finanças. Da mesma forma, se você falar que a empresa é boa mas o mercado estiver “estressado”, ele venderá as ações e você perderá dinheiro.

Nós não somos nada frente ao mercado. Nossa opinião não importa.

Neste momento, muitas boas empresas de capital fechado estão com problemas de caixa. E como várias foram criadas no momento de bonança do mercado, seus donos não são exímios gestores. Afinal, tudo que se vendia era comprado. Então, praticamente qualquer um tinha sucesso nos negócios.

Se você sabe avaliar empresas, poderá verificar qual a situação a startup do seu amigo, ou de qualquer empreendimento. Se você acreditar que o problema é só gestão e caixa, pode propor a ele fazer um aporte e você se tornar o gestor, ficando com um pedaço da empresa. É exatamente isso que o Marcus Lemonis faz no seu programa “The Profit”, que vai ao ar aqui nos EUA pela NBC. No Brasil, o show tem o nome de “O Sócio”, e é transmitido pelo History Channel.

O cara é muito bom. Ele comprou de salão de beleza à indústria de cheese cake; de oficina mecânica à restaurante fast food; de loja de móveis à empresa que fabrica baterias (o instrumento musical, não o gerador de energia).

Não Tenho dinheiro. Como aproveitar disso durante a crise?

Se você é bom de dar pitaco na vida dos outros, e tem perfil empreendedor, uma outra forma é ajudar seu amigo ou outros empresários é prestando consultoria. Através do processo de valuation, você conhecerá a empresa de “cabo à rabo”. Você pode propor ao dono ou gestor prestar uma consultoria e receber parte do resultado no futuro, ou cobrar uma taxa fixa agora. O importante é que ele te dê liberdade para sugerir e executar as estratégias propostas.

Mas atenção: não adianta cobrar o olho da cara agora. Ele já está em dificuldades e não te pagará para “tentar” resolver o problema dele. Este tipo de contrato costuma ser de risco, para ambos. Ganha-se junto ou perde-se junto.

Sugestão de Leitura

Já li muitos livros sobre valuation. Chega uma hora que todos começam a falar exatamente a mesma coisa. Então, separei três títulos que para mim são as bíblias do assunto. Com eles, nada de conhecimento faltará. O resto é experiência prática. Abaixo estão eles.

Valuation  – Como Precificar Ações

Autor Alexandre Póvoa.

valuation - alexandre póvoa

 

Para mim, este é o melhor título brasileiro. Primeiro pois foi escrito por alguém que atua no mercado diretamente. Póvoa é um dos melhores gestores de renda variável do país. Em segundo lugar, ele aplica as regras contábeis nacionais ao seu livro. Então isso facilita bastante ao investidor fazer suas análises.

Onde Comprar (clique nos links):

Saraiva – R$ 113,80

Submarino – R$ 55,12


 

Avaliação de Empresas

Tom Copeland

1024657-250x250

Este livro foi escrito por um grupo de funcionários da McKinsey & Company, uma das maiores empresas de consultoria do mundo. Todo o processo de criação de valor e gerenciamento de caixa é descrito nesta obra. É uma leitura obrigatória para quem deseja entrar nesse ramo.

Onde comprar (clique nos links):

Saraiva – R$ 176,80

Submarino – R$ 166,40


 

Avaliação de Projetos e Investimentos: Valuation

Autores: Sheridan Titman & John D. Martin

553904

Como eu já falei, em um determinado momento precisamos de referências que nos tragam informações diferentes. Por isso, essa lista tem apenas estes três livros. Muitos dos outros livros do setor  falam sempre sobre a mesma coisa.

No caso de Avaliação de Projetos e Investimentos, o que me atraiu foi o fato de ser um livro muito direto. Ele não pode, nem deve, ser o primeiro livro que você vai ler. Ele pula as etapas de explicar o que é o valuation e por que, e como, fazer uma projeção de fluxo de caixa. Os autores vão direto ao que interesse: o resultado e suas análises. O mais legal do livro é uma sessão dedicada a como fundos de investimentos fazem suas avaliações. Obra preciosa para a coleção de qualquer um.

Onde comprar (clique nos links):

Saraiva – R$ 125,80

Saraiva – Versão Digital – R$ 100,64 

Submarino – R$ 77,00


Todos os preços foram verificados no dia 09/01/2016 entre às 21:30 e 22:00, horário de Brasília. Não me responsabilizo por variações.

 

Um comentário em “VALUATION, COMPRA DE EMPRESAS E CONSULTORIA – EDUQUE-SE E APROVEITE A CRISE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

13 − oito =