ESQUEÇA O QUE GUSTAVO CERBASI TEM A DIZER

Quando eu trabalhava com assessoria de investimentos para pessoas físicas e dava aula sobre investimentos e finanças, uma das perguntas que eu mais recebia era sobre aonde uma pessoa com pouco, ou nenhum, dinheiro deveria investir, ou começar a investir. Naquela época, costumava seguir o padrão de atendimento a clientes, avaliando o perfil e sugerindo os produtos financeiros. Mas eu não acredito mais nesse tipo de resposta.

O banco não vai lhe deixar rico

A verdade é que Tesouro Direto, CDB, LCA, LCI, ou qualquer outra sigla que possa lhe trazer rendimentos de 100, 105, 110% do CDI não são as melhores opções para quem quer fazer investimentos. Estes produtos padronizados e pasteurizados são apenas formas mais eficientes de você ter uma reserva de segurança. E eu já falei em outros artigos e vídeos sobre a diferença entre “investir” e “poupar”. E se você quer investir, você precisa ter um pouco mais de trabalho e esforço.

Então, nessa minha nova era menos politicamente correto e compartilhando minhas realidades, eu acredito fortemente que pessoas que tem poucos recursos para investir, e esperam mudar seu padrão de vida com este processo, devem se dedicar a esquecer os produtos bancários. É necessário olhar para a economia real, para o comércio, para o trabalho. A melhor forma de ganhar dinheiro, é com trabalho. O banco só vai fazer render o excedente. Ele não vai te fazer rico. Ele vai ter deixar frustrado.

Dobre seu investimento

O que eu quero dizer é que se você tem R$ 100,00, R$ 200,00, R$ 1,000.00 para investir mensalmente, ou tem R$ 10, R$ 20, R$ 30 mil guardados em algum lugar e quer dar melhor utilidade para ele, você deve procurar algum tipo de produto que você possa comprar e vender com lucro.

E eu não estou falando de coisas muito elaboradas. Você não precisa inventar o novo Uber ou Facebook. Você só precisa sair da sua zona de conforto e arriscar um pouco.

Existem diversas marcas de roupas e outros produtos de beleza que você pode comprar com um incentivo e vender pela internet. Em alguns casos é até possível fazer de forma consignada, aonde você só paga quando vender, ou depois de um tempo determinado.

A sua margem de lucro nesses negócios pode chegar a 50, 100%. Muito melhor que os 7.5% que vai ganhar adquirindo um Título Público, ou os 8% de um produto estruturado, sem liquidez, do banco.

Aprenda a correr riscos

Existe risco? Claro que sim. Mas é para você poder ganhar o dobro. E com isso você reinveste e repete até chegar no patamar que deseja. Você faz seu próprio juros composto. Compra uma calça por R$ 100 e vende por R$ 200. No mês que vem compra duas, e recebe R$ 400. E assim você segue. Até que tenha dinheiro suficiente para justificar ter um “porte seguro”, como aplicações monótonas de renda fixa.

Nesse modelo, você precisa entender os riscos que estão envolvidos, como mercado consumidor e o que fazer caso não consiga vender o produto. Este último, sinceramente, eu acho pouco provável de acontecer. Se você pesquisar o suficiente, se dedicar para entender o que pode ou não ser vendido com lucro da mesma forma que você se dedica à assistir todas as temporadas de Game of Trones, tenho certeza que terá sucesso nessa empreitada.

Esqueça os livros sobre finanças

Insistentemente eu falo que nada vem fácil. Você quer realmente ganhar dinheiro? Pare de ler os livros de auto-ajuda dos “gurus” do mercado financeiro que só falam que você deve parar de gastar e colocar seu dinheiro nas LCA’s ou que você deve escolher um PGBL ou VGBL.

Quer dicas de livros? Compre aqueles que vão te ajudar a vender melhor, a ter uma boa estratégia de mídias sociais. É isso que você precisa aprender hoje. Quando você achar que está ganhando dinheiro demais para reinvestir no seu negócio, passe a olhar os investimentos financeiros. Antes disso, esqueça o que o Gustavo Cerbasi tem a dizer para você.

Pense grande. Comece pequeno.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

8 + oito =