COMO DIVERSIFICAR SEUS INVESTIMENTOS

Nove em cada dez consultores de investimentos lhe dirão que é importante diversificar sua carteira de ativos. Dizem que é mais seguro, desconcentra o risco. Porém, é preciso encarar a palavra “diversificação” com parcimônia. O importante é ter bons investimentos, e não muitos.

Entenda seu objetivo

Para montar uma carteira de investimentos, é preciso entender qual o seu objetivo financeiro. É aumentar patrimônio? Manter o patrimônio (cobrindo a inflação)? É gerar um fluxo de caixa sustentável?

Para cada uma destas funções de uma carteira de investimentos, haverá uma composição ideal. Quem deseja aumentar seu patrimônio, deverá procurar investimentos com potencial de ganho elevado, como ações, private equity, desenvolvimento imobiliário alavancado, títulos de renda fixa de segunda ou terceira linhas. Eles podem ser mais arriscados, porém, também podem gerar mais resultado no futuro.

Já aqueles que desejam manter seu patrimônio, apenas corrigindo-o da inflação, tem com carteira ideal aquela cujo valor de mercado oscila pouco, possui retornos estáveis e consistentes, e até alguma exposição à investimentos no exterior, devido à característica globalizada em que as economias se transformaram nas últimas décadas. São exemplos destes ativos títulos públicos e títulos corporativos de primeira linha nacionais ou de outros países, aquisição de propriedades imobiliárias, cotas de fundos imobiliários.

Os que se encontram no terceiro grupo, aqueles que buscam renda, ou fluxo de caixa sustentável, tem demandas e características diferentes. O tamanho do patrimônio é menos importante do que a renda que ele pode lhe gerar de forma contínua. Da mesma forma, como desejam receber um valor periódico consistente, podem abrir mão de liquidez. Ativos que devem estar nestas carteiras são ações de empresas com bom histórico de pagamento de dividendos (distribuição de lucros), imóveis que possam ser alugados, títulos que pagam juros periódicos (no mercado internacional, inclusive, existem títulos perpétuos: eles não tem prazo para o pagamento do principal, porém, pagam juros mensais infinitamente).

Diversifique de forma inteligente

Depois de entender qual o objetivo, a diversificação é consequência. Enquanto há literatura que condene a introdução muitos ativos em uma carteira, a esmagadora maioria sempre recomenda “não colocar todos os ovos em uma mesma cesta”. Mas isso nem sempre é verdade.

Para tornar seu investimento eficiente, como qualquer outra atividade que você desempenhe, é preciso de trabalho duro e estudo. Na minha opinião, a diversificação excessiva é reflexo da preguiça ou falta de habilidade de se educar sobre as oportunidades que aparecem.

Por quem investir em 5 empresas do setor de varejo, se você pode analisar as opções, entender como é feita a gestão da companhia e se concentrar em uma? Há riscos? Sim. Mas a maior parte dos riscos serão inerentes a todas as empresas do setor. Ou seja, se uma for ruim, muitas também irão. O risco específico de cada empresa é que deve ser analisado: endividamento, estratégia de marketing, desempenho da gestão.

A diversificação inteligente está ligada a colocar seus investimentos atrelados a diferentes tipos de riscos, e não escolher diversos ativos com os mesmos riscos inerentes.

Cuidado com a liquidez

Há, entretanto, um item que deve ser colocado em pauta: a liquidez. Acredito que quanto mais líquido for um ativo, mais você pode concentrar seus investimentos nele. Dois exemplos extremos: ações blue chips e imóveis.

As blue chips são as ações mais negociadas em bolsa, que tem a maior liquidez. Isso significa que é muito fácil, e rápido, comprá-las ou vendê-las sem que haja perdas consideráveis no processo. Como sempre terá alguém com intuito de comprar ou de vender, é praticamente certo que ao precisar fazer um dos dois, você o fará pelo preço de mercado (ou muito próximo).

Já os imóveis, por melhor que eles sejam, e por mais que o mercado esteja aquecido, comprar ou vender uma propriedade imobiliária não é um processo ágil. Há diversos passos a serem cumpridos e a negociação é desgastante. Ela é mais baseada no que o comprador e o vendedor “acham” individualmente, do que um reflexo do que acontece no mercado. Sendo assim, se você precisar vender rápido, é certo que terá que colocar com um valor (muito) abaixo do preço de mercado.

Com isso, quero dizer que é menos arriscado concentrar 100% do seu capital em uma única ação blue chip do que colocar os mesmos 100% da sua carteira em um ativo imobiliário.

Diversificar é um mantra

Diversificar é um mantra repetido excessivamente sem que seja, de fato, analisado e compreendido. Antes de você fazer algo com sua carteira de investimentos, seja comprar, vender ou diversificar, pergunte-se sempre: por que vou fazer isso? Se estiver seguro da resposta, vá em frente. Afinal, o melhor investimento é aquele que permite que você durma bem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

sete + 4 =