PROPORCIONE EMOÇÃO E CONQUISTE VENDAS

Com a facilidade da difusão e acesso à fontes de informação, não só os consumidores estão mais atentos ao que as empresas fazem, mas estas, também, preocupam-se mais em como provar para seus prospects o valor que seus produtos ou serviços pode lhes proporcionar. Foi-se o tempo em que uma mensagem bonita no comercial de Natal era o suficiente para fixar a marca. Agora, mais do que falar, é preciso fazer.

Nunca estudei, formalmente, marketing. Mas enquanto Economista, sempre analisei mercados e a forma como os agentes econômicos atuam entre si. Desde que montei minha primeira empresa, em 2008, sempre houve a preocupação de como mostrar às pessoas/potenciais consumidores que os valores a que me propunha poderiam ser entregues. Na época, era sócio de empresa de investimentos. Para tornar público aquilo que desejava entregar, passei a dar aulas em faculdade, cursos para empresas e palestras para público em geral sobre economia e investimentos. Foi uma forma de fazer com que aquelas pessoas que eu gostaria ter como clientes experimentassem o serviço que poderia prestar a eles e mostrar que eu estava apto a desempenhar aquela função, apesar da (relativa) pouca idade.

Este problema, mais e mais, as marcas enfrentam. O Marketing Sensorial, ou de experiência, vem exatamente para resolver esta adversidade. Numa era aonde a informação está em todos os lugares, as pessoas precisam ser conquistadas pelo lado direito do cérebro. E para isso, você precisa, primeiro, proporcionar a seu prospect a experiência de uso de sua marca, antes que ele lhe compre.

Vários são os exemplos destas ações. Se procurar “Marketing de Experiência” ou “Marketing Sensorial” no Youtube, encontrará diversos exemplos. A Tross Empreendimentos, no Brasil, empresa na qual fui Gerente Financeiro, também já fez uma campanha para passar emoção a seus prospects. Em uma tarefa difícil de como mostrar para uma pessoa como seria morar em um empreendimento desenvolvido por nós, criamos a campanha “Lua de Mel na Laje“, aonde decoramos um prédio em construção e convidamos duas pessoas a passarem um final de semana inesquecível em Florianópolis.

XVM5372d184-c69f-11e5-a093-5cc2826e4cfaRecentemente, me chamou a atenção uma empresa de viagens de Londres. Eles desejavam promover pacotes turísticos para África do Sul. Como não seria seguro, imagino que pensaram, levar um leão para o centro da cidade, construíram uma casa na árvore em meio às ruas da Rainha, a qual poderia ser visitada pelos passantes.

Em uma época em que falar torna-se excessivamente fácil, a proposição de valores de uma marca deve seguir uma das frases mais antigas da História, dita por César no século I a.c. “não basta ser, tem que parecer.” 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezesseis − 11 =