PRETTY RECKLESS

Eu sempre gostei do que é diferente. Quando pequeno, enquanto meus amigos jogavam futebol, eu partipa pro basquete, volei, skate, e até hockey sobre patins. E isso continuou sempre. Se a parada é diferente, pode ter certeza que a possibilidade de eu gostar é muito grande.

E numa dessas coisas “diferentes”, uma vez, lendo um site de música, me deparei com essa banda, “Pretty Reckless.” E o que me chamou a atenção que no artigo, ele citava que a vocalista desta banda de rock era a atriz Taylor Momsen, protagonista do seriado americano Gossip Girls.

Num primeiro momento, eu pensei que deveria ser mais uma no tipo Lindsay Lohan, que também se aventurou pelo mundo da música com uma banda, e depois como DÊ JOTA. Mas, pra minha supresa, eu estava errado. E Pretty Reckless é realmente bom.

O nome tem um trocadilho. A palavra “pretty”, em inglês, pode significar “bonita”, e “reckless” quer dizer “inconsequente”. Então, nestes sentidos, o nome da banda faz uma alusão à uma menina bonita que pode produzir um som pesado, inconsequente.

Mas também, “pretty” pode ser utilizado como pronome ou advérbio de intensidade, significando “muito”, ou “realmente”. Se assumir esta conotação, pode-se dizer que o nome da banda, Pretty Reckless, quer dizer “muito inconsequentes”.

Independentemente do que o nome quer dizer, o som deles é muito bom. O álbum de estréia, “The Pretty Reckless” é na verdade um EP com apenas 4 músicas. Longe de ser uma banda de heavy metal, porém com guitarras e baixos com distorções pesadas e bateria bem agressiva, que combinam bastante com o timbre mais grave (pelo menos para uma garota) de Momsen.

Taylor criou uma personagem em cima do “Pretty” (bonita) e do “Reckless” (inconsequente), e apresenta-se normalmente de roubas curtas, meia calça, cinta-liga e suitã à mostra.

Seu segundo álbum, Going to Hell, é completo, com 16 músicas, e muito mais pesado. Abrindo com “Follow me Down” é possível saber que a pegada foi muito mais para o lado do rock.

Nem só de porrada na orelha vive o rock. Going To Hell também tem baladas, como “House on a Hill“, e duas músicas acústicas, sendo uma delas uma versão da música que acompanha o título do álbum.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × 2 =