POR QUE VOCÊ DEVE BUSCAR NOVAS FORMAS DE INVESTIMENTOS

Há alguns meses, eu fiz um vídeo publicado em meu canal no Youtube chamado “5 DICAS PARA VOCÊ COMEÇAR A INVESTIR”, que pode ser conferido aqui. Apesar desta publicação ter sido voltada para pessoas que ainda não tem o hábito de investir, um ponto que foi tocado no vídeo foi a distinção entre investirpoupar.

Na minha concepção, Investir está mais relacionado a correr riscos em busca de um retorno futuro, que compense o risco, claro. Poupar, por outro lado, está simplesmente ligado ao ato de guardar dinheiro.

Trago este fato à tona mais uma vez pois a economia brasileira voltou a um ponto aonde pensam que estão investindo seus recursos em títulos seguros, quando na verdade, estão apenas poupando dinheiro. Ou seja, não estão ganhando nada, ou quase nada. E por isso, é hora de começar a buscar alternativas. Vamos a exemplos.

Quem guarda dinheiro no cofre, perde todo dia para a inflação. Afinal, os R$ 100,00 de hoje não comprarão as mesmas coisas no futuro, tendo em vista que tudo aumenta de preço.

Poupança

Neste sentido, algumas pessoas, por falta de conhecimento ou por excesso de comodidade, aplicam suas economias na Caderneta de Poupança. Sendo este o mais tradicional dos “investimentos” brasileiros, ele cumpre pouco a principal função de aplicações financeiras: manter o poder de compra, quero dizer, ganhar mais juros do que a inflação pode lhe tirar.

Atualmente, a poupança rende 6,75% ao ano. Sabendo que Pessoas Físicas não pagam imposto de renda sobre os ganhos desta aplicação, este é seu ganho líquido. Porém, quando descontamos a inflação (IPCA) de 4,75% (12 meses terminados em Fev/2017), seu rendimento real é de apenas 1.91% ao ano. Um retorno pífio para quem abriu mão de consumir hoje para poder consumir mais no futuro.

Tesouro Direto

Quando você analisa os retornos dos títulos públicos, a situação não melhora muito. Um título pré-fixado negociado no Tesouro Direto com vencimento em Janeiro de 2020 (LTN 010120) rende hoje (20/03/2017) 9,75% ao ano.

Diferentemente da poupança, investimentos no Tesouro Direto sofre com o imposto de renda. Neste caso, para quem adquirir o título hoje e levar até o vencimento, terá um imposto de 15% sobre os rendimentos. Sendo assim, os 9,75% bruto se transformam em 8.29% ao ano.

Seguindo o mesmo raciocínio que tivemos com a poupança, descontada a inflação de 4,75% ao ano, o rendimento real do investidor é de 3,38% anuais. Mesmo este sendo cerca de 1.7x maior que o da poupança, isso não quer dizer que o investidor acumulará grandes fortunas aplicando no Tesouro Direto hoje.

CDB de Grandes Bancos

Uma outra alternativa, seria correr um pouco mais de risco e ir par ao CDB de grandes bancos. Como agora o risco não é mais soberano, e sim o risco de uma instituição privada, os retornos podem ser maiores.

Há alguns bancos de primeira linha que chegam a pagar 115% da taxa DI em suas aplicações financeiras. A taxa DI, ou Depósito Interfinanceiro, é quanto as instituições financeiras cobram entre si para emprestar dinheiro uns aos outros, e pode ser observada através do site da CETIP.

O DI tende a acompanhar a taxa SELIC. Atualmente a taxa SELIC é de 12,25% ao ano e a taxa DI é de 12,13% ao ano.

Ou seja, quando seu banco lhe oferece 115% do DI, ele vai te pagar 115% de 12,13% ao ano, que seria, neste caso, 13,95% a.a.

Vamos às mesmas contas.

Descontado o imposto de renda, os 13,95% brutos se transformam em 11,86%.

Quando retirada a inflação de 4,75%, lhe restam líquidos 6,78% ao ano.

Conclusão

Se você quer ganhar dinheiro e elevar seu patrimônio, será necessário buscar outros investimentos, teoricamente mais arriscados, como Bolsa de Valores, Private Equity ou moedas.

Voltamos à era aonde a Renda Fixa volta a cumprir seu papel: apenas cobrir a inflação.

Para ganhar dinheiro, é preciso ser produtivo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × três =