O INVESTIDOR GERÚNDIO

Você já ouviu falar no investidor gerúndio?

É aquele que está sempre analisando, esperando, verificando, calculando. Mas tomar a decisão e partir para o investimento, nada.

Quando comecei a mexer com investimentos, pelos idos 2005, ainda na faculdade de economia, eu escutava muita gente dizendo que se arrependida de não ter entrado na Bolsa logo após eleições de 2003, momento em que a Bovespa “derreteu” com os rumores da eleição de Lula. Depois disso, o índice Bovespa se valorizou cerca de 400% até 2008, quando houve a quebra do mercado financeiro mundial.

Em 2010, ouvi muita gente reclamando que não entrou no mercado naquele momento. Após uma desvalorização de 50% em pouco mais de 6 meses, o Ibov recuperou cerca de 80%.

Com a estagnação econômica e o desastre chamado Dilma Rouseff, novamente a Bolsa de Valores caiu 40% e e já recuperou tudo.

Vejam quantas oportunidades existiram para que investidores ganhassem muito dinheiro. Não importa se o perfil é de curto ou de longo prazo, nos últimos 15 anos, a Bovespa passou por 3 mega desvalorizações (com quedas superiores a 40%), dando diversos pontos de entrada para que investidores reposicionassem suas carteiras com estratégias vencedoras.

Passamos por outro período destes. Estamos no topo de uma recuperação, ou apenas no início de uma bela sequencia de alta? O valor de mercado das empresas negociadas em bolsa representa 39% do PIB Brasileiro. Já foi 91% em 2007, segundo estudo publicado pelo jornal Valor Econômico. O lucro das empresas mostra recuperação do mercado. A taxa de juros ensaia mais um corte de 1.25 ponto percentual na próxima reunião do COPOM (Conselho de Política Monetária do Banco Central).

Todos os astros da Economia apontam para fatores que podem proporcionar crescimento para a renda variável.

Você vai continuar analisando, ou vai tomar uma decisão?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × 1 =