NOVO EMPREGO OU DESCOBRIR O QUE GOSTA?

Um amigo veio até mim perguntar o que eu achava sobre uma nova ideia de negócio que ele está pensando em abrir para mudar de emprego. Então falamos sobre mercado, localização, margens, investimento, até que ele “confessou” que estava com vontade de empreender em um novo segmento pois já não se satisfazia aonde estava. Mas será que está é a jogada correta?

DESCUBRA O POR QUE

Eu já vi diversos eventos como esse acontecerem, e eu já protagonizei alguns, aonde alguém decide apostar em algo diferente pois está entediado, insatisfeito, não realizado com a situação atual. E não me entenda mal, eu sempre sou o primeiro a incentivar pessoas tentarem coisas novas, mas há que ter uma certa dose de precaução antes de fazer isto.

E a precaução a que eu me refiro não é ficar dias, meses, anos, analisando as 154 mil variáveis de tudo o que pode dar errado. Isso só vai lhe sobrecarregar e você nunca sairá do lugar. O que eu quer dizer, em primeiro lugar, é POR QUE você está fazendo isso?

SEU TEMPO É (AINDA MAIS) RELATIVO

Recentemente eu li um texto no qual dizia que cada pessoa encontra seu caminho na hora certa. Há pessoas que montaram empresas aos 18 anos e continuaram nelas até os 60. Outros, criaram impérios aos 50 anos de idade. Então, tempo é relativo, e o SEU tempo é mais ainda.

Neste sentido, quero dizer que durante os primeiros 8-9 anos de minha carreira, as minhas decisões de “aonde me meter” tinham certo grau de ponderação do que eu QUERIA fazer, por ser o que realmente gosto; e um outro peso, normalmente maior que o primeiro, dado para o fator financeiro, ou seja, grana.

Com isso, durante esse período, por mais que profissionalmente eu tenha me desenvolvido exponencialmente, eu nunca me sentia realmente realizado com o que fazia, e nem conseguia concretizar ações de longo prazo, pois estava com o foco errado.

Ao focar no dinheiro que eu, potencialmente, iria ganhar, eu deixava de lado fazer a melhor escolha de acordo com o que realmente me deixaria feliz. E quando o resultado não era o esperado, eu desanimava, e partia para outra tentativa, sempre utilizando a mesma ponderação.

As minhas duas últimas mudanças profissionais já refletiram essa virada de chave. Quando eu abri mão do meu escritório de investimentos para trabalhar numa Asset, meu objetivo era abrir uma filial no exterior. Vendo que não seria possível, fiz uma nova mudança, concretizada com minha vinda para os Estados Unidos.

Nunca me senti mais realizado na vida do que agora, fazendo o que gosto, aonde eu quero, e atuando com a certeza que me dedico muito mais para colocar planos e metas em prática, do que simplesmente pelo resultado financeiro no final.

Todavia, não quero que me entendam mal. É lógico que continuo tendo minhas metas financeiras. Mas ao longo desses últimos 13 anos, tomei consciência de que por mais rápido que eu queira andar, as coisas irão acontecer quando tiverem que acontecer. A minha única influência neste processo é manter a roda girando, pois com ela parada, nada vai pra frente. Estou, realisticamente, neste jogo olhando o longo prazo.

DESCUBRA-SE PRIMEIRO; MUDE DEPOIS

Voltando ao problema do meu amigo, depois que concluímos que a mudança desejada era pelo simples motivo de “mudar”, mais do que qualquer outra coisa, fiz algumas sugestões.

A primeira delas foi continuar aonde está. Por mais que você esteja de saco cheio de sua carreira, de seu chefe, de seu sócio, do seu trabalho, da sua rotina, vivemos em um mundo financeiro. Se você não tem dinheiro guardado para mandar todos à merda, você deve permanecer aonde está para poder pagar suas contas. Porém, isto ocupa apenas uma fração do seu dia. O resultado que você deseja alcançar, virá das demais horas.

Se você dividir seu dia em três turnos, verá que durante 8 horas você dorme, durante 8 você trabalha, e durante 8 você pode fazer o que quiser. É neste 1/3 do dia que você deve focar no primeiro momento. Utilize-o de forma exaustiva para uma das duas coisas:

– descobrir o que poderia lhe deixar profissionalmente realizado;

– trabalhar o máximo que pode para fazer isto acontecer.

QUAL CAMINHO SEGUIR

Se você ainda não sabe o que quer da vida, o que realmente lhe satisfaz, utilize estas 8 horas do dia para descobrir. Leia livros, converse com pessoas, vá à meet ups na sua cidade, veja filmes, assista à vídeos no YouTube, procure na internet. Vindo de uma geração que cresceu dependendo das informações que estavam contidas na Enciclopédia Barsa, é inadmissível que hoje alguém não invista horas de pesquisa na internet sobre qualquer coisa.

A sua única missão neste momento é descobrir qual caminho seguir.

SEJA EFICIENTE – TRABALHE MUITO

Assim que descobrir para onde quer seguir, você deve utilizar todas as forças, horas, energia que possuir para fazer isto acontecer. Isso não vai vir eliminando seu sono, sua alimentação, seu tempo com a família. Isso será feito apenas excluindo as coisas totalmente improdutivas que faz, como as incontáveis horas assistindo à séries no NetFlix, passando a tela do seu smartphone bisbilhotando a vida alheia, compartilhando vídeos no whats app.

Não é sobre “eliminar o prazer”, mas trocar a sua fonte de coisas que lhe deixam alegre. Talvez, todos estes artifícios que foram citados sejam sua forma de fugir da realidade que você odeia. Quando você estiver inserido em um ambiente no qual você se lamenta de ter que ir dormir pois não pode curti-lo, todas aquelas coisas se tornarão banais e não farão falta.

LARGUE SEU EMPREGO

Em determinado momento, será necessário tomar a decisão de largar o emprego/situação atual. E, como eu disse, caso você não tenha uma fonte de reserva, você deve fazê-lo naquela hora em que a sua nova aposta já lhe rende recursos o suficiente para substituir a fonte de renda.

De início, você poderá ficar com remorso de largar o emprego, afinal, aumentou seus rendimentos com o novo desafio. Porém, deve lembrar por que você fez isso, em primeiro lugar. O segundo ponto que deve ser levado em consideração é que você estará fazendo algo que ama, e o resultado financeiro virá única e exclusivamente da sua ambição (AMBIÇÃO É DIFERENTE DE GANÂNCIA) e vontade de ir além.

TENHA O FOCO CERTO

Quando eu estava na pós graduação, um colega disse a empresa aonde você trabalha determina seu futuro. Ela que decidirá quais especializações fazer, que atividades desempenhar, e como você deverá crescer lá dentro.

Eu discordo completamente desta mentalidade. Isto é um pensamento da geração anterior à minha. A empresa tem, sim, suas diretrizes e necessidades. Mas cabe a você decidir se quer segui-las, ou não.

Assim, devemos manter o foco no que desejamos e estarmos pronto para muitas mudanças no caminho.

Eu realmente acredito e incentivo as pessoas a mudarem e buscarem o que gostam pois foi o que eu fiz para mim. Durante 10 anos eu procurei aonde eu queria estar e o que desejava fazer. Este foi o meu tempo. Agora que eu encontrei, estou no modo de execução.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

vinte − dezessete =