INVESTIR NOS ESTADOS UNIDOS É DIFERENTE DE INVESTIR EM DÓLAR

Hoje atendi uma pessoa que pedia informações sobre investimentos nos Estados Unidos. No meio da conversa, ela comentou sobre o risco de variação cambial, contra o Real, no caso. Foi nesse momento que eu a interrompi.

Existe uma diferença fundamental entre investir em dólar e investir nos Estados Unidos. Na primeira, é uma mera especulação, ou proteção, contra a oscilação da moeda brasileira frente à americana. A segunda, tem a ver com o conceito de investimento produtivo: investe-se X, na busca do retorno Y.

O investimento em moedas

Investir em dólar pode ter diversos motivos. Uma empresa que possui receita na moeda americana, por exemplo, fica exposta à sua variação. Se ela vender $100 mil dólares e a cotação for R$ 1 = US$1, ela faturou R$ 100 mil. Entretanto, se o dólar subir ou descer, o mesmo acontecerá com o seu faturamento, mesmo que tenha vendido exatamente os mesmos $100 mil.

Neste caso, ela faz um “hedge” cambial, vendendo dólares para travar sua posição. Assim, independentemente do que aconteça com a cotação, ela já garantiu sua receita em reais. Fez isto para se proteger.

Já um especulador, pode acreditar que o dólar vá se valorizar contra o real. Pode ser baseado em fundamentos, pode ser baseado em gráficos, ou pode ser achismo puro.

Assim como alguém que compra qualquer outra moeda, inclusive o tal do Bitcoin (sim, quem compra Bitcoin está apenas especulando, pois sua preocupação é a cotação Bitcoin/Dólar, e não o conceito romântico que existe por trás da moeda digital), ao adquirir dólares, seu comprador está exposto à sua variação frente ao real. Ele espera que suba, mas pode descer. E neste caso, ao trocar dólares por real, vai ter menos reais do que no início da operação.

Para aproveitar, investir, especular, se proteger, etc, contra ou a favor de sua cotação, ele não precisa trazer o dinheiro para os Estados Unidos. Basta ele ir à uma casa de câmbio e comprar moeda, ou investir em um fundo cambial, disponível na maioria dos bancos de varejo.

Esta, é a uma excelente opção por sua liquidez. A qualquer momento, o investidor pode reverter sua posição recomprando seus reais, na entrega de seus dólares. Assim, seu único risco, de fato, é a variação cambial. Mas este é seu propósito.

O investimento em outro país

Investir nos Estados Unidos, ao contrário de tudo o que foi escrito acima, tem outro objetivo. Ao decidir aplicar seus recursos em outro país, o investidor acredita, por fundamentos ou sentimentos, que terá retornos satisfatórios com o risco que vai correr.

Ao investir no Brasil, por exemplo, pelo risco ser exorbitante, ele quer retornos ainda mais astronômicos: dois dígitos, no mínimo. Quando ele opta por países mais estáveis e sólidos, como os EUA, muitos países da Europa e também da Ásia, o investidor espera, e aceita, retornos menores por ter menos riscos.

E quando se diz “investir”, é aplicar seu dinheiro na economia, comprando imóveis, abrindo empresas, comprando e vendendo produtos dentro daquela economia. Isto, sim, é investir em outro país. Tirar o dinheiro do Brasil para deixar numa conta corrente em dólar, é investir em dólar, e não nos Estados Unidos.

Por isso, ao decidir colocar seu dinheiro na economia real em outro país, você não deve se preocupar com o retorno na sua moeda local. Se você quer ganhar no câmbio, apenas compre divisas estrangeiras.

Não entre em negócios e em mercados que você não conhece, pois você espera ganhar tanto na moeda quanto no projeto. Uma coisa é uma coisa; outra coisa, é outra coisa.

Espere o retorno imobiliário, o lucro da empresa, o ganho do comércio. Isto é o que você deve olhar ao analisar um projeto de investimento em outro país. Se quer ganhar no dólar, deixe o dinheiro no Fundo Cambial XTPO.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezenove − 1 =