ESQUEÇA A PREVIDÊNCIA PÚBLICA E FAÇA SUA PRÓPRIA APOSENTADORIA

Nos últimos meses muito se discute a respeito da previdência pública. Mas a verdade é que ela nunca foi boa ou permitiu uma aposentadoria digna aos contribuintes que não fazem parte de classes especiais. Na prática, é quase impossível um funcionário da iniciativa privada se aposentar com 100% do seu salário, mesmo contribuindo pelo teto. Sendo assim, guardar dinheiro forçadamente é sempre a melhor forma de garantir o seu futuro.

A melhor forma de fazer isso é começar cedo e ter disciplina. Uma regra que recomendo, e que eu mesmo não fiz por muito tempo, é guardar 10% do seu salário líquido. Independente de qual ele seja. Se aumentar, você guardar mais. Se diminuir, você economiza menos. O importante é que esses 10% sejam o primeiro valor a sair da sua conta.

Outro ponto importante é que não há necessidade de de complicar o que é fácil. Os planos de aposentadoria privada, em geral, possui muitas regras e inúmeras taxas, como taxa de administração e taxa de carregamento.

Na prática, os planos de previdência conservadores aplicam nos mesmos títulos aos quais você tem acesso no Tesouro Direto, que são os títulos públicos. Então, na prática, com um mínimo de conhecimento e bastante disciplina você pode conseguir o mesmo resultado, ou parecido, dos principais fundos de previdência privada, que, em geral, procuram remunerar o investidor em 6% ao ano, mais inflação.

Atualmente (Jun/2017), os Títulos Públicos de longo prazo (vencimento em 2045), pagam inflação + 5,68%. Sendo que algumas corretoras não cobram taxa de custódia para tais investimentos, seu ganho é praticamente líquido.

Se desejar melhorar ainda mais seus resultados, você pode diversificar e investir em ações. Neste caso, se você tiver 10-15% do seu portfolio em ativos com menor volatilidade e bom pagamento de dividendos, é muito provável que, num horizonte de longo prazo (acima de 20 anos), seus resultados sejam melhores ainda, uma vez que a distribuição de lucro das empresas não é tributada e deverá ser reinvestida neste período, aumentando ainda mais seu montante acumulado.

Para deixar sua previdência ainda melhor, você pode também adquirir cotas de fundos imobiliários. Estes são obrigados a pagar 95% do que tiverem em caixa para seus investidores. Então, além dos recursos que você receberá periodicamente, ainda há a possibilidade de valorização das cotas em resposta à valorização dos ativos que compõem o fundo.

Lembre-se, quando falamos em previdência, o importante é você complementar sua renda mensal no futuro, quando não puder mais trabalhar. Sendo assim, investimentos que lhe gerem fluxo de caixa periódicos são de extrema importância para sua aposentadoria.

Não obstante, é recomendado que você converse com um planejador financeiro (de preferência que não seja ligado à instituições financeiras) para fazer algumas contas e verificar qual a melhor opção. Alguns planos de previdência podem ter benefício tributário.

Porém, meu objetivo neste artigo é colocar na sua cabeça que você não pode depender do Estado para garantir o seu futuro. Você pode, sim, construir paralelamente uma carteira de investimentos para complementar sua previdência social. Quero gerar alternativas, e não eliminá-las.

Muitas pessoas, quando se deparam com os diversos planos existentes, não sabem para onde ir e acabam desistindo. Sendo assim, dar o primeiro passo, iniciando uma poupança em Títulos Públicos de longo prazo podem abrir caminho para uma estratégia mais complexa e mais adaptada às suas próprias realidades.

Mas nunca se esqueça: em finanças, “Cash is King” (“dinheiro no bolso, manda).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × quatro =