ANÁLISE TÉCNICA DE AÇÕES FUNCIONA?

Uma das formas de investir-se em ações chama-se “Análise Técnica”. Não vamos diferenciar aqui “investidor” de “especulador”. Vamos considerar “investimento” qualquer aplicação de recursos com objetivo de ganho de capital ou obtenção de retorno no futuro. E por futuro leia-se “uma hora” ou “dez anos”.

O preço reflete tudo.

Esta ferramenta de análise de ativos, que pode ser utilizada em qualquer investimento com liquidez razoável, foi desenvolvida por Charles Dow. Em sua teoria, ele considerou que os preços descontam, ou refletem, todas as informações publicamente acessíveis a respeito de um determinado ativo.

Na prática, pode-se traduzir esta teoria da seguinte forma: se o preço de mercado da banana é $2,00, todos sabem que isto reflete o atual valor de sua produção e a margem de lucro do produtor. Sendo assim, se a demanda e o valor de produção continuassem exatamente os mesmos (que pode ser medido pela inflação do produtor) e o produtor elevasse o preço da banana para $2,50, todos saberiam que isso se deveu ao aumento do lucro.

O mercado se move em tendências. E tendências se confirmam com volume.

Outro ponto trazido por Dow, é que o preço dos ativos se move em tendência, ou padrões. Porém, essas tendências precisam ser confirmadas pelo volume financeiro das operações. Isso significa que, se um ativo, ou classe de ativo, apresenta um comportamento consistente de elevação de preços por um período (tendência), esse comportamento continuará a existir (mantidas todas as variáveis constantes) até que as operações, em geral, revertam suas posições.

Vamos supor o mercado imobiliário. Observa-se frequentemente que o preço dos imóveis de uma determinada região eleva-se em 1% todos os meses. Porém, em determinado momento, um único vendedor aceitou negociar o seu imóvel por preço abaixo de mercado, trazendo este índice para baixo. Neste mês, o preço os imóveis subiu apenas 0,5%. Este fato, isolado, não significa que o mercado “virou sua tendência de alta”. Para que isso fosse verdade, precisaria-se observar que um conjunto de operações, com volume financeiro equivalente ao do período de tendência de alta, seguisse este novo padrão de preços menores a cada venda.

Não é uma ciência exata.

Assim como toda teoria econômica e de investimentos, a análise gráfica não é uma ciência exata. Ela é suscetível a movimentos fora de seu escopo. E isto é justificável pois quem toma as decisões são pessoas que, apesar de racionais, diferem suas razões dos seus semelhantes.

Nem por isso, todavia, esta se torna uma forma inválida de investimento. Muito pelo contrário. Investimentos inteligentes são aqueles em que se entende o por que de fazê-los e o por que de abandoná-los. E isso a análise técnica faz com certa relevância.

Em momentos erráticos, nada é compreensível.

Porém, como qualquer técnica de precificação de ativos, a análise técnica tem maior eficiência (e utilidade) em momentos em que não há estresse generalizado, ou de difícil precificação, dos ativos. Quando ninguém consegue determinar o preço de um ativo em razão de eventos externos, não interessa se antes sua casa valia $100,000.00. Agora, o mercado quer pagar $50,000.00 e este é o valor dela.

Não espere por mágica

Não há mágica no mercado. Para ter retornos positivos em investimentos, é necessário estudo e atenção. Precisa-se entender o racional do negócio, saber se há oferta e demanda do produto, serviço ou ativo.

Quando você sai da ciência e passa para o “achismo”, você deixa de investir e passa a apostar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 + 10 =